Brisas no banho. Não estamos falando de satisfação de coito individual.
Não é a toa que Mozart jogava baldes de agua fria em sua cabeça, o banho é um exercício de brainstorming (…)

~ligo a tv~ ‘to perdendo Two and Half Man? Não. Ainda tá no jornal’.

Tava pensando que nesse calor, o chuveiro gelado, ta vindo como cachoeira, imagina um banho de cachoeira. Água geladinha e você lá embaixo morrendo de frio mas um frio bem louco.
Vocês escutam musica no banho? Vei é relaxante, o banho fica bem agradável, eu coloco um Natiruts e já briso na galera do bem lá de Brasília.
O problema de brisar no banho é: Vai anotar na parede?
E se não escrever ou gravar a brisa de alguma forma, some como a marola sobe.
E a marola no banheiro? Toma aquele banho caprichado com xampu e condicionador, que disfarça legal.
Tava com 3 sementinhas de um prensado do verde que eu comprei (sim, eu colaboro com isso, mas as sementes mostram que eu quero largar a necessidade do mercado negro (com o perdão da expressão).
Uma delas já estava se abrindo e mostrando o principio de raiz. Encheu meus olhos de alegria.
Mas infelizmente elas caíram do telhado onde tomavam sol (estavam em um copo), minha prima pegou e deu fim. Pausa dramática (…). Só achei uma, e ela é a esperança, não é a que eu mais botava fé, mas está dando sinais de vida. Veremos nos próximos capítulos.
Acabei perdendo Two and Half Man, mas por uma boa causa, trocando uma ideia com uma amiga minha.
Tava lembrando de um parça meu, o Potter, ele mesmo o H. romeu pin, zuera. O Harry Potter. Ele tem umas brisas chata, mas a maioria é brisa daora, pique as de dança, a gente brisa dançando rap e os carai, fora os funks que os moleque improvisa, qualquer dia vou gravar pra vocês verem!
Mano, vou correr lá na cozinha, porque a larica ta de matar, namoral, fui.